Veja a relação entre número de acertos e a nota real no Enem


Acertar muitas questões no Enem não é garantia de uma super nota, assim como não ir tão bem de acordo com o gabarito não significa que a nota vai ser baixa. Isso tudo porque a composição da nota leva em consideração a Teoria de Resposta ao Item (TRI), um complexo cálculo matemático que leva em conta, antes de tudo, a coerência dos acertos (entenda melhor aqui).

Por exemplo: segundo a TRI, um candidato que acerta mais questões difíceis do que fáceis é considerado incoerente, porque a probabilidade de isso acontecer é muito baixa. Por isso, conclui-se que ele chutou, o que diminui sua nota. Já uma prova considerada coerente, dentro do esperado, é aquela em que o candidato acerta muitas fáceis, algumas médias e poucas difíceis. Isso explica porque alguns candidatos acertam o mesmo número de questões e têm notas diferentes, ou porque alguns candidatos acertam menos questões do que outros e obtêm notas maiores.

Abaixo, você vê uma relação entre o número de acertos no gabarito e a real nota do candidato no Enem. Os gráficos são resultado de uma pesquisa feita com 100.003 alunos pela consultoria em educação Evolucional, com base no Enem 2014. Note que há variações da nota entre alunos com o mesmo número de acertos, mas dentro de certos limites.

Fonte: GUIA DO ESTUDANTE Enem 2016


0 visualização

(061) 9 9417-0000 / (061) 3554-2138

Asa Sul, CRS 512, Bloco C, Entrada 73

Brasília/DF

CEP 70.360-525